O objetivo do Blog é mostrar, discutir e aprender de forma sadia tudo que pode ser feito com

materiais e ferramentas simples e acessíveis. Fiquem à vontade para dar pitacos e participar.

12 de dez de 2011

Links Legais

Olá gente louca do meu Brasil !

Vou postar alguns links legais. Nem sei se já coloquei antes, mas aí vai:

Site "Instructables": O melhor e maior site de Cambiocós  e Gambiarras que existe. É onde milhares de cambioquentos colocam suas idéias e instruções passo-a-passo com fotos. Acho que é o site que eu mais visito. É em inglês, mas como tem muitas fotos, é bem simples de entender.

Site Flickr, com fotos de vários cambiocós e artesanatos de minha autoria. Tem também um álbum de alguns lugares que conheci com minha namorada e minha barraca. 

Para quem não sabe, eu tive uma banda muito feia e com senso de humor de extremo mal gosto durante alguns anos com dois amigos em Botucatu. Se chama Los Netos da Zenaide. Nesse site aí embaixo dá pra ouvir algumas músicas. Tire as crianças da sala e boa sorte !

Chega né !

30 de nov de 2011

Matéria Prima: Pallet

O que fazer com um Pallet ?!? 


Esse Cambiocó será diferente:

Vou escrever um pouco sobre Pallets (aqueles "estrados" de madeira que vemos em mercados, depósitos, fábricas...) e algumas idéias do que podemos fazer com eles. É uma matéria-prima gratuita e ecologicamente correta. E além disso, pallet dura bem mais que compensado, aglomerado e MDF.

Pallets normalmente são de pinus. 


É uma madeira muito barata e fácil de encontrar, pois a árvore cresce rapidamente. É uma madeira "mole" (fácil de trabalhar), leve, clara (cor creme) e por conter resina, dificilmente pega cupim ou brocas. Mas o acabamento ruim (pela resina e veios irregulares dificilmente fica lisa e aceita verniz ou seladoras). O pinus é "pouco nobre" e é usado em coisas que serão descartadas rapidamente, porém, tomando alguns cuidados, podemos usá-los inclusive em mobiliário. A madeira de pallets é gratuita. Qualquer fábrica, mercado ou distribuidora descarta pallets diariamente. Basta ter saco para pegar, colocar no carro ou levar a pé mesmo para a casa.


Pegou ? Levou pra casa ? Pronto. Agora tem a encheção de saco número 2: Desmontar.Pegue martelo, alicate, pé de cabra, chave de fenda e o que mais achar em casa e tire TODOS os pregos e grampos do pallet e separe as tábuas. Cuidado com o tétano ! Se não conseguir, peça a ajuda de um adulto.
Com as tábuas separadas e limpas, pegue um serrote, martelo, pregos e cola e comece a trabalhar. Abaixo, algumas coisas que eu fiz com madeira de pallet.


Ah, lembram do tópico "Pátina Provençal" (Que nome bonito !) ?!?
A cadeira foi feita com madeiras de pallet (eucalipto).

Aqui embaixo, uma "namoradeira" (banco para 2 pessoas) feita também em madeira de pallet, mas de pinus. Exceto a almofada do assento (feita pela minha namorada !), acho que não gastei nem R$5,00 com material. As madeiras e os pregos foram reaproveitados do pallet. Gastei praticamente só com lixa e seladora para o acabamento. Obs: Utilizei as ferramentas e máquinas da oficina do curso de Design do IESB daqui de Bauru. Mas pode ser feita tranquilamente com ferramentas manuais e hobby.



Lembra da viola de lata de sardinha, o "Cambiocó Master" ?!?
Pois bem, o braço-corpo foi feito com madeira de pallet também ! 


Enfim, com martelo, prego, serrote e disposição já dá pra fazer muita coisa com um pallet.

Um UTA do TATO.

23 de nov de 2011

Triângulo de Pobre

Aos poucos vou retornar a Cambiocar.
Acho que já escrevi isso antes, mas vou dar enfoque nos Cambiocós musicais.
Esse é o básico, muito básico dos Cambiocós. Na vedade estou colocando esse Post só para encher linguiça até colocar algo interessante, e para não deixar o Blog sem assunto.

Enfim, é um triângulo, instrumento de percussão (e não percuRsão como muitos dizem) que, como já devem saber, se consiste em um ferrinho dobrado em forma de triângulo (óbvio) e um ferrinho menor que serve para bater no primeiro.

Ache ou compre um ferrinho qualquer, entre 5 e 10mm de espessura (quanto mais grosso o ferro, o som fica mais alto, porém é mais difícil de dobrar), serra, dobra e  ***PLIM !*** está pronto seu instrumento musical ! 


Esse triângulo eu fiz ainda no colegial e arranquei um ferrinho debaixo da carteira.
Que feio. Vândalo. Não estou fazendo apologia à destruição gratuita, mas a moral da história é que o Cambiocó pode vir das coisas e situações mais improváveis.
Aliás o som dele não ficou muito bom... Com ferro de construção (barra de uns 1/4") fica melhor. E usa a serra para ferro e um alicate para fazer.


Bom, bonito e barato.

Fraco, feio e fedido.

Tchau !

25 de out de 2011

Cambiocó Master

Olá Cambioquentos !

Depois de um longo e triste inverno sem novidades, cá estou eu para lhes agraciar com o Cambiocó Master: 
O fabuloso violão feito com madeira de Pallet (da pior qualidade) e lata de sardinha (da minha esta básica).
A lata de sardinha vai servir de caixa acústica, ou corpo (para amplificar o som) e a madeira será usada para fazer o braço, tampo da caixa acústica, tarraxas (aqueles trocinhos que tem para esticar ou afrouxar as cordas), e a ponte (onde prende as cordas no corpo).


Ah, depois eu continuo.

Pronto.Vou continuar.
 Como eu mencionei acima, o Cambiocó Master é um violão feito com materiais malacafentos e malacabados. Mas o resultado é muito divertido. Vejam na foto abaixo.

E o melhor está por vir: No final desse cambiocó tem um vídeo onde eu tiro um sonzinho dessa coisa aí !!! 

Então vamos lá. Primeiro, pegue a lata de sardinha de sua preferência (inclusive pode ser de atum ou de outra coisa que não seja peixe) e corte seguindo o modelo abaixo. Use uma serra para ferro, tesoura para lata ou outro artefato perfuro-cortante que lhe permita cortar a lata como ilustra o esquema abaixo.
Se não conseguir, peça a ajuda de um adulto.


Cuidado para não se cortar nas rebarbas da lata (como aconteceu comigo).
Guarde a lata e pegue um pedaço de madeira do pallet como eu descrevi no começo deste Cambiocó.
A tábua de pallet que você deve usar deve ter pelo menos a largura da lata por uns 35cm de comprimento e 1,5cm de espessura. Se tiver mais do que essas medidas, ótimo.
Agora pegue um serrote (ou serra para ferro), grosa (ou lima), lixa, faca, estilete e o que mais seu coração mandar. Serre, lixe, corte, fure até que a madeira tome o formato a seguir.
Parece difícil, mas não é. Vamos, você consegue !!!


A parte que tem o furo maior (o furo deve ter diâmetro de uns 3cm) deve se encaixar perfeitamente na borda onde ficava a tampa da lata de sardinha. E faça também 4 furos no Headstock (extremidade do braço do violão) para prender as tarrachas depois.


Essa parte mais fina da direita vai ser a "tampa" da lata de sardinha, e deve ter o tamanho exato dela. A parte mais larga do braço vai ser encaixada no corte que foi feito na lata no começo do Cambiocó.
E o meio do braço (onde você vai segurar com a mão esquerda) deve estar com a parte de baixo abaulada para que a mão se encaixe. Ah, olha aí nas fotos que você vai entender.

Com o braço/tampo do violão feitos, é só pegar a lata de sardinha (sem sardinha, sem tampa e previamente cortada) e encaixar direitinho, colando e vedando tudo com massa plástica (que se usa em funilaria) ou Durepox.
Putz, veda, encaixa e prende MUITO BEM a madeira na lata, porquê depois que esticar as cordas se não estiver bem preso vai quebrar tudo.
Espera secar e lixa  tudo até ficar sem rebarba e o menos feio possível.


Agora, pega as ferramentas e faça 4 cravelhas (tarrachas) que se encaixem nos furos do Headstock.
Não se esqueça dos furinhos nas pontas para prender as cordas.


Bom, feito tudo isso, ainda falta a pecinha maldita que segura as peças no corpo do violão (que se chama ponte) e aquela outra que apoia as as cordas no Headstock, que se chama Capotraste.
E tem uma gambiarra que estica as cordas (com uma porca tipo borboleta).
Ah, vê as fotos aí.



Agora envernize (ou encere, passe seladora, pinte...) e pronto. Prenda as cordas, que podem ser as quatro mais grossas de violão mesmo e tente afinar (pelo menos estique elas até sair som).
Eu afinei em E-A-D-G (igual as quatro primeiras do violão). Fica legal uma afinação em acorde mesmo, tipo em Sol (G-B-D-G).
Se não conseguir ou não souber, peça a ajuda de um adulto.
Dá um sonzinho meio estranho, mas com um pouco de treino e talvez até um slide (aquele tubo de vidro ou ferro que coloca no dedo) dá pra tirar um som legal dele.

Agora assista o vídeo e seja feliz !

video

Tchau !!!

12 de out de 2011

Usando as Coisas de Lata

Oi de novo !

Aí vão duas ideias de usos para aquelas flores de lata do tópico anterior :

Moldura de um espelho:
 

Putz, olha o caboclo de chinelo tirando foto lá atrás...
Esse espelho também fui eu que fiz, com tábuas achadas em caçamba (sim, eu sou quase um lixeiro) que eram usadas em um piso de um bar aqui de Bauru.
Enfim, repare nas flores dos cantos do espelho. Elas valorizam o trabalho final.


Outra coisa que eu fiz usando tranqueiras e ficou legal foi um pendurador de guardanapo com. Coloquei 3 flores de lata nele. Não repare no guardanapo encardido que está nele.

 

Pronto. Terminei.

Coisas de Lata

Cambioquentos, estou de volta !!!
Após quase uma semana de recesso (vulgo preguiça e falta de assunto) voltei e vou colocar mais umas idéias. Se quiserem fazer, boa sorte, se não dêem pitacos e participem só na teoria.

O cambiocó de hoje são umas flores de lata, que já vi em lojas de móveis rústicos.
Peguei latas de thinner, óleo e outras (tinta não pois a tinta fica grudada no verso da lata)
Primeiro pegue as latas que quiser usar (se forem coloridas por fora ficam mais legais, e abra, usando um abridor de latas ou tesoura de calheiro (aí embaxo). Como eu sempre digo, se conseguir fazer de outra forma ou com outras ferramentas, ok.


Beleza. Aí é só riscar uma flor na lata (pode usar um compasso, é mais fácil) e cortar. Corte uma menor e coloque no meio da flor anterior desencontrando as pétalas (calma, mais pra baixo tem foto). Centralize as duas pétalas e fure o meio delas usando um prego de uns 3mm de espessura. Prenda uma na outra com rebite. Se for prendê-las na madeira, use um prego. Agora entorte as pontas delas.

Veja a foto que você vai entender:


Agora é só prender em moldura de quadros, espelhos, e onde mais quiser.
No próximo cambiocó vou dar umas idéias de onde colocá-las. 

Fui !

7 de out de 2011

Cachepot ? Quiquié isso ?!?

Cachepot: (fr cachepotsm Recipiente, que pode ser de vários materiais, como cerâmica, metal, madeira etc., dentro do qual são colocados os vasos de plantas.

Cachepot. Que nome mais lindo ! Lembrei da "Pátina Provençal" do tópico anterior (Hahaha !!!). 
Resumindo: Cachepot é um vaso bonito pra colocar um vaso feio dentro.
A ideia é tão simples que eu fiz um cachepô com cabos de vassoura (achados na rua, é claro !)
Primeiro, ache um monte de cabos de vassoura (caçamba, terreno baldio, etc). É mais fácil de achar do que se imagina ! Depois, com um serrote ou serra para ferro, corte todos do tamanho que quiser o cachepô.
Fure as pontas com uma furadeira e faça uma "torre" um pouco mais alta que o vaso que for usar, e atravesse os cabos de vassoura com uma barra roscada (é um ferro com rosca de fora a fora onde se coloca porcas). Veja no esquema abaixo:

Fure todos os cabos de vassoura no mesmo local, e atravesse-os com a barra roscada como está no esquema acima. Rosqueie as porcas nas quatro extremidades embaixo e em cima do cachepô. Agora corte as sobras da barra roscada com a serra para ferro. Está pronto.

Esse aí embaixo é o que eu fiz !


Aeeeeeeee !!!

5 de out de 2011

Violão Pendurado ?

Saudações Cambioquentas !

Esse Cambiocó é para você, parceiro de Cambioquices, que tem um violão e não tem onde colocá-lo.
Sim, o violão é um trambolho quando não se tem espaço na casa (ou apê). Mas seus problemas estão a um passo de do fim, pois ensinarei um jeito simples e rápido de pendurar seu violão na parede.

Você só precisará de um pedaço de couro, mais ou menos de 3 x 15cm, uma tesoura e um prego previamente martelado na parede desejada. Para os Cambioquentos extremos, ao invés de um pedaço de couro, use um pedaço de cinto, pano, cipó, ou o que encontrar de mais feio nesse sentido.

Comece cortando e furando o couro (use um furador de papel, prego, faca, se vira !).

Repare que há um pequeno corte junto ao furo:

Coloque nas duas tarraxas superiores do violão.

Ok ! Agora é só pendurar ! Só se certifique que o prego aguentará o peso do violão.
Obs: Repare na foto da esquerda que uma das tarraxas do violão é de Durepox. 
(Hahaha... Cambiocó !!!) 


Ah, é isso aí. Tchau !

4 de out de 2011

Links Cambioquentos

Alguns links legais :

O maior site de Cambiocós do mundo !
www.instructables.com

Site de viagem, mochilão e Cambiocós :
www.mochileiros.com.br

Meus Cambiocós :

Minhas Viagens :

Acabamento: Pátina Provençal

Pátina Provençal: Que nome bonito ! Nem parece um Cambiocó para dar cara de antigo em móveis e utensílios. Aliás, é legal ver que coisas ridiculamente simples têm nomes bonitos para parecerem complicadas ou exigem muito conhecimento para executá-las. Enfim, essa "técnica", apesar do nome, é bem fácil e dá uma cara legal aos móveis e utensílios.

Essa cadeira eu fiz há uns dois anos e usei madeira de "Pallet" (aqueles "estrados" que vão embaixo de caixas em mercados).

                                     Os "Pallets"                                   E a cadeira

Os Pallets normalmente são de madeira Pinus (acho que é a pior madeira do mundo), mas às vezes encontramos pallets de eucalipto ou cedro. É muito fácil de encontrar em distribuidoras, mercados, atacadistas e fábricas. Geralmente quando os pallets estão velhos, as empresas jogam fora. 
Aí você pega, desmonta e usa a madeira.

Bom, como é de costume, eu termino meus Cambiocós e não dou acabamento. Aí vou usando e nunca mais mexo. Essa cadeira é um exemplo. Mas ontem aprendi a fazer a "Pátina Provençal" (Que nome bonito !) 
A "Pátina Provençal" é um acabamento que dá uma cara envelhecida (geralmente em madeira).

Você precisará de: 

Lixa (muita lixa), grossa e fina , tinta látex acrílica branca (de pintar parede), ou outra cor clara, verniz à base d'água, uma vela, e uma trincha de umas 2 polegadas.

Como fazer:

Lixe a peça toda, tirando as imperfeições. Se a madeira tiver buraco ou rachaduras, tampe com massa corrida, espere secar e lixe. Eu não fiz isso, mas se você tiver paciência, faça. Fica melhor.
Pegue a vela (apagada, animal !) e passe onde quer que a não pegue. 
A parafina impede que a tinta grude na madeira. 
Dica: Passe a vela principalmente nas quinas e saliências, pois é onde ocorre maior desgaste em peças antigas. Agora pinte a peça toda e espere secar completamente.

Depois de seca, lixe a peça toda, principalmente nos locais que passou a parafina.
Passe o verniz na peça toda, para impermeabilizar. Pode passar cera para madeira ao invés do verniz.Também funciona.

Veja o resultado:


Veja alguns detalhes:




Outra observação importante é que o que dá o efeito da "Pátina Provençal" (Que nome bonito !) é o contraste entre a cor da madeira e a tinta. Quanto mais escura a madeira, melhor ! Se a madeira for clara, talvez fique bom uma tinta escura o invés de branco. 

Fim !

"Pátina Provençal". Hahahaha !!!

2 de out de 2011

Anzol de Pobre

Esse cambiocó eu já conhecia e ouvi algumas pessoas comentarem que dá certo, mas eu tenho minhas dúvidas. Enfim, vou ensinar a fazer. É ridículo de tão simples.
É um anzol feito de anel de latinha de cerveja.

Ferramentas :

 Como se trata de um anzol "de emergência", não dá pra ficar escolhendo. O que tiver a mão serve: Alicate, tesoura, faca, cortador de unha, qualquer coisa que corte. O material é só o anel de cima da latinha. E não precisa ser de Skol não.


Bom, retire o o anel e corte ele como na figura abaixo:


Agora, use qualquer coisa para amassar as rebarbas de trás para que a linha não seja cortada.


Raspe no chão, ou em uma pedra para afiar a ponta. Note que atrás da ponta fica uma "fisga" para que enrosque na boca do peixe ao puxar.


 Pronto. É só isso. Vamos supor que o sujeito esteja perdido no mato e encontre um rio. Vamos supor também que nesse rio existam alguns peixes. Alimento para o sujeito ! Vamos observar alguns detalhes.

1. Se a pessoa estiver perdida a ponto de usar um anel de lata como anzol, ONDE ela vai arrumar um anel de lata ?
2. Se a pessoa tiver o anel de lata, é muito pouco provável que ela tenha alguma ferramenta que a permita fazer esse anzol.
3. Ok, se a pessoa conseguiu fazer o anzol e ele estiver perfeito, será pouco provável que o aguente o peixe, já que o anzol é de alumínio.
4. E isca ? Aonde tem isca ?!?

Tá bom, já fiz Cambiocós melhores, mas tem que publicar os ruins também, para que os outros pareçam bons.

Falou, até a próxima ! 

30 de set de 2011

O Retorno da Janela Velha

Olá, Cambiocozada !

Esse Cambiocó é uma continuação do "Janela Velha é Que Faz..." . Na verdade é mais uma ideia do que se pode fazer com uma janela velha de madeira.

É bem básico, é só colocar uma cortina ou pano estampado por trás da janela, simulando uma cortina. Eu usei um pano boliviano que ganhei da munha mãe, que eu não estava achando onde usar ele (e não queria por no sofá pra ficarem botando a bunda em cima).
Para prender eu usei um grampeador de pressão, mas pode usar tachinhas, prego, cola, ou o que quiser.

Grampeador de pressão. É uma beleza !

Ah, sim, a janela.
Bem simples. É só fazer e pendurar na parede.

The End

Cambiocó Musical II

Oi, cambada, tudo bem ?!?

Bom, neste Cambiocó vou ensinar a fazer uma "Kalimba". É um instrumento originário da África, e relativamente fácil de fazer. Ele se consiste de uma caixa de ressonância (pode ser de coco, cabaça, caixa de madeira, lata, etc...) e sobre ela uma superfície com "teclas" feitas de aço, que quando tocadas (com os dedos) produzem sons graves ou agudos, conforme o tamanho. Abaixo, uma Kalimba feita com metade de um coco:


As ferramentas usadas são:

 Furadeira elétrica (brocas equivalentes ao parafuso e ao furo para saída do som);

Serra para ferro;

Cola para madeira (ou cola branca)


Materiais :

Metade de um coco (ou metade de cabaça, lata de goiabada, ou qualquer outra lata 
ou caixa de madeira aberta somente na parte superior);
Dois parafusos para metal com 3 ou 4mm de bitola e um par de porcas tipo "borboleta" 
equivalentes aos parafusos (ou arame galvanizado com 3mm de bitola);
Dois pedaços de ferro de construção (de 5mm de bitola) ou um pedaço de alumínio 
ou madeira da mesma espessura; 
Um pedaço de madeira ou compensado de no máximo 7mm de espessura e grande o 
suficiente para cobrir toda a superfície aberta da caixa de ressonância (coco, cabaça, lata...);
Pedaços de aço (ou ferro, mas não  é tão bom) de tamanhos diferentes, variando de 5 a 12cm, para fazer as teclas. Obs: podem ser até maiores do que 12cm, mas não devem ultrapassar o limite da caixa de ressonância.


Como fazer:

Primeiramente use uma fita crepe para delimitar a metade do coco ou da cabaça a ser cortada. Use a serra para ferro ou serrote. Se usar a serra para ferro, cuidado para manter o corte sempre reto. Se usar lata ou uma caixa de madeira ignore este passo. Agora, coloque a caixa de ressonância de cabeça para baixo sobre a madeira e risque a volta toda. Use a serra ou serrote para cortar, ou leve em uma marcenaria para cortar.

Faça furos conforme o esquema abaixo. Se for usar parafusos e porca "borboleta" para segurar as "teclas", use o modelo 1. Se usar arame galvanizado, use o modelo 2. O modelo 2 é mais simples, porém dá mais trabalho para afinar as teclas quando a Kalimba estiver pronta. Fica a seu critério.


Se usar o modelo 2 (com arame), o último passo é colar a tampa na caixa de ressonância. Nesse modelo, coloque os 2 apoios das teclas, as teclas e a trava superior, entre os 2 apoios. Depois passe os arames por cima da trava  superior, e torça os arames com o alicate universal por baixo da tampa. Mais abaixo ficará mais simples de entender. 
Se usar o modelo 1, passe os parafusos e rosqueie as "borboletas". Cole a tampa na caixa de ressonância e espere secar (o tempo de secagem varia entre os tipos de cola).

As imagens abaixo é um esquema do modelo 1 (com parafuso e "borboleta") 


Esse esquema é exatamente como é feita a Kalimba da primeira foto do post. No esquema não existe medidas pois cada Kalimba varia em relação às medidas da caixa de ressonância e teclas. Não há regras. Siga as proporções dos desenhos e fotos.
Uma observação importante é que a trava (ferro que fica em cima das teclas) deve estar bem apertada, fazendo com que nenhuma tecla fique solta, causando um som desagradável.

Abaixo segue imagens da minha Kalimba feita no modelo 2, ou seja, com cabaça e arame segurando a trava das teclas. Os dois apoios e a trava superior das teclas são feitas de ferro de construção.


Observe que há 3 arames. Se usar muitas teclas, o arame do meio ajudará a travar as teclas. 
Nesse modelo, quando estiver tudo pronto na tampa, cole ela na caixa de ressonância.

Assim que notar que as teclas emitem um som que lembram o de uma harpa, você pode empurrar ou puxar elas com alicate para afiná-las. Quanto maior a parte da tecla que está do lado do músico, 
mais grave o som.Quanto menor, mais agudo. Ah, os detalhes desenhados foram feitos com pirógrafo. 


Essa é uma Kalimba que eu fiz há alguns anos feita com uma caixa de madeira. Já fiz algumas de lata de sardinha também. O melhor som é o das Kalimbas de coco e cabaça.
Abaixo há um vídeo para visualizar e ouvir o som que deve sair do instrumento.

video

Acho que é isso... Tchau !